Drogas vs Hollywood

Lícitas ou ilícitas, as drogas interromperam o caminho de grandes estrelas

Bebidas alcoólicas, cocaína, maconha e medicamentos “pesados” fazem parte do “menu” de muitas estrelas do entretenimento. Hollywood perdeu grandes estrelas e várias promessas que trilhavam o caminho certo para o sucesso devido ao consumo excessivo de drogas lícitas e ilícitas.

Megan Fox

Há alguns anos, a atriz Megan Fox (As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras) deu uma declaração que passou despercebida pela imprensa. Ela disse à revista Maxim que a cocaína é a queridinha de Hollywood: “a cocaína é mais utilizada que todas as outras”. Usuária de maconha, Megan apoia sua legalização e não “curte” outros “produtos”.

A mistura das drogas lícitas com ilícitas, uso excessivo das lícitas ou o consumo dessas de forma inadequadas/irresponsável podem causar uma “overdose inesperada” e, na grande maioria das vezes, o final vem a ser trágico. Isso ocorreu, por exemplo, com o ator Heath Ledger (Batman: O Cavaleiro das Trevas) que faleceu em 2008. A mistura de vários medicamentos receitados pelo médico pessoal causou uma parada cardíaca no ator.

Apesar dos casos recentes – semelhantes a morte de Ledger e Michael Jackson, por exemplo – os problemas relacionados as drogas vêm assombrando Hollywood deste os primeiros passos. Porém, vamos adiantar esses passos até os anos 80 e 90.

Até hoje, todos os fãs de cinema que acompanharam os lançamentos destas duas décadas, tratam os astros e estrelas como inesquecíveis. Grandes sucessos desta época são considerados por muitos como CULT ou Clássico, das comédias românticas até as maravilhosas obras de Ficção Científica, passando por grandes aventuras que permanecem na mente dos fãs. Como esquecer, por exemplo: Os Caçadores da Arca Perdida (1981), E.T.: O Extraterrestre (1982), Blade Runner – O Caçador de Androides (1982), Os Goonies (1985), Namorada de Aluguel (1987), Os Garotos Perdidos (1987), entre tantos outros?

O filme fazia sucesso nos cinemas e era certo receber uma grande audiência quando exibido na TV aberta. A Sessão da Tarde foi um dos grandes responsáveis pelo alcance desses clássicos oitentistas ao grande público adolescente. Os atores eram reconhecidos pelos telespectadores imediatamente de um filme para outro.

Dentre os astros das décadas citadas, vamos citar agora, em especial, três promessas: Amanda Peterson, Corey Haim e River Phoenix.

Amanda Peterson e Patrick Dempsey em Namorada de Aluguel

Três atrizes tinham presença garantida no coração dos adolescentes na década de 80: Molly Ringwald (Clube dos Cinco, 1985), Phoebe Cates (Picardias Estudantis, de 1982) e Amanda Peterson. Amanda tornou-se rapidamente uma das estrelas adolescentes favoritas com seu papel no clássico exibido constantemente no SBT, A História Sem Fim (1984) e em 1987 com a comédia romântica Namorada de Aluguel. Amanda perdeu o interesse em prosseguir com a carreira e fez planos para a educação universitária. Porém, infelizmente, ela não conseguia se livrar de seu vício em drogas que quase a levou para atrás das grades em várias ocasiões. Em 2015, completamente abandonada, Amanda teve uma overdose de drogas e faleceu.

Os Garotos Perdidos: Corey Feldman e Corey Haim

Corey Haim, astro de Os Garotos Perdidos (1987) teve uma carreira de sucesso até o início dos anos 90. Após isso, atuou em diversos fracassos ou teve participações breves em filmes em muito prestígio. Seu histórico envolvendo o vício em diversas drogas ilícitas e alcoolismo acabaram afastando o ator das grandes produtoras. No período que antecedeu a estreia de Sem Licença Para Dirigir (1988), Haim estava recebendo 2.000 cartas de fãs por semana, e passou seu tempo tentando evitar as adolescentes ficando na Mansão que havia comprado em Los Angeles onde morava com sua mãe. Haim ganhou seu segundo Young Artist Award, e o filme faturou mais de US$ 22 milhões de dólares nos Estados Unidos.

Haim bebia cerveja no início da adolescência no set de Lucas em 1985, e um ano mais tarde, ele provou maconha no set de Os Garotos Perdidos. “Eu vivia em Los Angeles nos anos 80, não era o melhor lugar para se estar”, disse Haim. “Eu usei cocaína por cerca de um ano e meio, em seguida veio o crack”. Mais tarde, ele disse que em Sem Licença Para Dirigir foi o seu “ponto de ruptura” para se tornar dependente. A combinação de oito tipos de drogas encontradas em seu corpo não foi suficiente para provocar sua morte, a causa foi uma conjunção de pneumonia, problemas cardíacos e respiratórios.

River Phoenix no filme Indiana Jones e a Última Cruzada

Talvez, a morte mais trágica entre as grandes promessas de Hollywood tenha sido a do jovem ator River Phoenix. Sua promissora carreira foi encerrada, quando ele morreu por insuficiência cardíaca induzida por drogas em Hollywood, Califórnia, no clube noturno The Viper Room (do ator Johnny Depp) no ano de 1993 aos 23 anos de idade. Quem ligou para o 911 naquele momento foi seu irmão, também ator, Joaquin Phoenix (Coringa, 2019).

Astro de grandes sucessos, River tinha em seu currículo diversos prêmios e uma importante indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por seu papel em O Peso de Um Passado (1989). No filme Viagem ao Mundo dos Sonhos (1985) ele atuou com Amanda Peterson, que no filme era a grande paixão do personagem de Ethan Hawke (Sete Homens e um Destino, de 2016).

Seth Rogen

Sabemos que o tema é polêmico e que vários usuários de maconha nunca experimentaram e nem vão experimentar outra droga ilícita. Mas, na grande maioria dos casos registrados em Hollywood, esta droga, em específico, foi a porta de entrada. Temos estrelas que lutam pela liberação, Megan Fox, como já citamos, é um exemplo. Além dela, temos Jennifer Aniston, Kirsten Dunst, Whoopi Goldberg e o ator Seth Rogen entre os mais conhecidos.

Texto: Redação SalaDois

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *